23 de nov de 2016

França: Juppé acusa Fillon de estar demasiado próximo da Rússia




Euronews, 23 de novembro de 2016. 



A poucos dias da segunda volta das primárias da direita francesa, os ataques sobem de tom.

O ex-primeiro-ministro da era Chirac, Alain Juppé, acusa o rival, François Fillon, de preparar um programa “radical” com reformas excessivas e de recolher os votos da extrema-direita. Em termos da política externa, Juppé considera que Fillon é demasiado próximo de Moscovo:

Entrar em negociações com a Rússia não significa dizer sim a tudo, mas sim dizer-lhes a verdade. Um país não pode anexar parte de outro e violar leis internacionais, como aconteceu com a Crimeia. Quando acordos, como o de Minsk, são assinados para restabelecer a paz na Ucrânia, devem ser respeitados. É verdade que há fraquezas do lado ucraniano, mas também sabemos que a Rússia atiça os separatistas.”


Fillon não esconde as boas relações com o presidente russo, Vladimir Putin, quando era primeiro-ministro de Nicolas Sarkozy, tendo classificado em várias instâncias o “número um” do Kremlin de “líder admirável”, e promete relançar as relações entre Paris e Moscovo, atualmente geladas:

Ouço como os amigos do meu rival me acusam de ter vontade de normalizar as relações com a Rússia, com mais cooperação e honestidade. Deixo-os andar à volta do assunto, mas tomarei todas as medidas necessárias para garantir a segurança dos franceses e irei recorrer à ajuda de todos os países disponíveis para derrotar o Estado Islâmico.”

O escrutínio do próximo domingo decidirá quem será o candidato dos conservadores para as presidenciais francesas de 2017. Uma das últimas sondagens dá a vitória a Fillon, com 65 por cento dos votos.

Artigos recomendados: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário