13 de jul de 2016

Milhares em jejum após o presidente russo [ditador] Putin assinar uma lei proibindo o Evangelismo fora das igrejas

Filhote do anticristo



ChristianPost, 12 de julho de 2016. 








O presidente russo, Vladimir Putin assinou a lei na semana passada como uma medida para punir qualquer tipo de evangelização religiosa fora das igrejas, o que alguns observadores têm chamado de um movimento restritivo na “história pós-soviética”. 

“Esta nova situação assemelha-se a União Soviética, em 1929. Naquela época a confissão de fé era permitida apenas na igreja”, Hannu Haukka, presidente da Grande Comissão de Mídia e Ministérios, disse ao National Religious Broadcasters, de acordo com o Breitbart Notícias. “Em termos práticos, estamos de volta a mesma situação. Essas leis antiterroristas são algumas das leis mais restritivas na história pós-soviética”. 
A lei, que é para supostamente se dirigir contra a pregação do terrorismo e do extremismo, também foi aprovada pela câmara alta do Parlamento russo. A ação bloqueia a partilha da fé em qualquer lugar que não seja um estabelecimento sancionado pelo governo para promovê-la. 

Charisma News informou que milhares de igrejas na Rússia estão se unindo em oração e jejum contra a medida, com base em informações compartilhadas por Haukka. 

“A igreja está chocada com a notícia da nova lei. Cerca de 7.000 igrejas evangélicas / protestantes estão em jejum e oração no momento por conta da notícia”, disse Haukka. 

The Christian Post informou no início deste mês que vários grupos cristãos na Rússia já se manifestaram contra as medidas draconianas, como a Adventista do Sétimo dia da divisão Euro-Ásia de Moscou que tem afirmado que é quase “impossível” para os crentes religiosos cumprirem os requisitos. 

“Se esta legislação for aprovada, a situação religiosa no país vai tornar-se consideravelmente mais complicada e muitos crentes vão encontrar-se no exilio e sujeitos a represálias por causa de sua fé”, disse o grupo antes da assinatura de Putin. 

Sob a nova lei, os missionários estrangeiros não serão permitidos para falar nas igrejas, a menos que tenham uma autorização de trabalho por parte das autoridades russas; qualquer tipo de discussão sobre Deus com os não crentes iria considerar a atividade missionária como sendo punível por lei; e não seriam permitidas atividades religiosas mesmo em casas particulares. 

Além disso, qualquer pessoa de 14 anos de idade se for pega pregando será sujeita a processo, e cada cidadão será obrigado a informar a atividade religiosa às autoridades, ou enfrentar a punição contra si. 

Haukka perguntou aos cristãos ao redor do mundo se querem participar das orações com as igrejas russas conforme elas enfrentam tempos difíceis. 

“A Rússia está indo por um caminho horrível. A nova lei está em total conflito com o propósito e a tarefa dada à igreja pelo Senhor. A lei irá enviar a igreja de volta à perseguição comunista da era soviética”, ele questionou. 

O presidente do NRB Jerry A. Johnson ainda pediu ao governo dos Estados Unidos para pressionar a Rússia a revogar o que ele descreveu como uma “lei injusta”. 

“Vamos orar contra esta nova cortina de ferro de perseguição aos cristãos na Rússia, contamos com que ela seja retirada rapidamente antes de causar danos aos nossos irmãos em Cristo”, disse Johnson. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário