8 de abr de 2016

Será que Cuba é melhor em lidar com direitos humanos do que a Carolina do Norte? A hipocrisia impressionante do PayPal

PayPal Presidente e CEO designado Dan Schulman falando durante um evento no Terra Gallery, em São Francisco, Califórnia dia 21 de maio de 2015.


CP, 06 de abril de 2016.



Em um ato de hipocrisia extraordinária, o PaPay, que no mês passado anunciou seus planos de expandir negócios em Cuba decidiu não expandi-los na Carolina do Norte, porque o Estado está determinado a manter os seus banheiros públicos e vestiários seguros. 

PayPal enviou hoje uma mensagem alta e clara para a América: Os valores de senso comum dos americanos conservadores devem ser desprezados; os valores destrutivos dos comunistas cubanos, incluindo décadas de abusos dos direitos humanos que continuam neste exato momento deve ser abraçado. 

Eu digo que é hora de enviar uma mensagem ao PayPal. Talvez possamos nos comunicar com mais clareza a eles através do nosso dinheiro? 
Segundo o presidente e CEO do PayPal, Dan Schulman, HB2 da Carolina do Norte está violando os valores de sua empresa “os mais profundos valores”. 


Como ele explicou em uma declaração por escrito: “Esta decisão [de não abrir novos escritórios em Charlotte] reflete os valores mais profundos do PayPal e nossa forte crença de que cada pessoa tem o direito de ser tratados  igualmente, e com dignidade e respeito. Estes princípios de equidade, inclusão e igualdade estão no coração de tudo o que buscamos alcançar e representamos como uma empresa. E eles nos obrigam a tomar medidas para se opor a discriminação”. 
A declaração de Schulman não é apenas falsa como é hipocrisia. E ela está saturada disso. 

Primeiro, PayPal fez planos de abrir novos escritórios em Charlotte muitos meses antes da lei dos banheiros e vestiários em Charlotte ser aprovada em fevereiro (e, posteriormente anulada). Em outras palavras, há seis meses ou há um ano, quando todas as leis eram exatamente como são hoje, PayPal estava muito feliz em fazer negócios em Charlotte. 

HB2 está simplesmente invertendo, um projeto de lei potencialmente perigoso equivocado e que coloca as coisas de volta exatamente onde estava há dois meses.
Isso levanta a questão: se a lei atual, que é idêntica como as anteriores, e é então ruim por que então o PayPal esteve tão ansioso para fazer negócios em Charlotte antes? Por que hoje é diferente do que foi um ano atrás? E quem estava impedindo o PayPal desde quaisquer normas que iriam se impor em seus próprios edifícios e entre os seus funcionários? 

Em segundo lugar, HB2 garante que os homens não podem usar os banheiros das mulheres e vestiários em edifícios públicos, o que significa que os predadores heterossexuais não podem usar o acesso a banheiros transgênero como meio de satisfazer seus próprios fetiches (ou pior).   

Em suma, por causa da HB2, um homem não pode pretender ser uma mulher e andar no vestiário das mulheres do YMCA local aonde as mulheres e meninas vão para tomar banho e trocar de roupa. No entanto, PayPal quer defender os “direitos” dos macho de sexo confuso em vez de proteger mais de 99% da população que não se identifica como transgênero. 

Que tipo de loucura é essa?

E a respeito dos direitos de todas as vítimas de estupro do sexo feminino, alguns dos quais têm expressado horror com a ideia de que os homens biológicos que se identificam como mulheres possam usar os seus banheiros, ou pior ainda, vestiários e chuveiros? (Pare e pense sobre toda essa loucura. Como isso não pode ser um problema?). 

Em terceiro lugar, HB2 protege as liberdades constitucionais do povo da Carolina do Norte, não forçando um muçulmano ou cristão ou judeu Mórmon a violar suas convicções religiosas. 

Consequentemente, assim como ninguém poderia pensar que um fornecedor de serviços privados muçulmano deve ser obrigado a atender um casamento com carne de porco ou um fotografo judeu a fotografar no sábado, sob HB2, um padeiro cristão poderia não ser forçado a assar um bolo para uma cerimônia homossexual de “casamento”.

O que poderia ser mais básico do que isso? E que ninguém se atreva a argumentar que, quando os nossos fundadores garantiram nossas liberdades religiosas na primeira alteração da Declaração de Direitos, o que realmente quiseram foi: “Suas liberdades são garantidas a menos que elas entrem em conflito com o ativismo homossexual” Sério? 

Isso reforça ainda mais a hipocrisia extrema do PayPal, juntamente com algumas outras grandes empresas americanas, já que elas expressam sua indignação justa contra o HB2 ao anunciar sua parceria com países como Cuba. 

De que maneira eles denunciam a forma que Cuba trata a população LGBT? 

Então quer dizer que o PayPal tem relações de trabalho com muitos países da África e Ásia, que proíbem a prática homossexual com prisão e até mesmo com execução de homossexuais praticantes?

Parece que o que realmente importa para o PayPal é o dinheiro e o politicamente corret, e enquanto não podemos impedi-los de agir hipocritamente, podemos enviar-lhes uma mensagem dirigindo os nossos negócios para outro lugar. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário